Bolsonaro diz que indicará ministro “terrivelmente evangélico” ao Supremo

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) afirmou hoje que indicará durante o governo um ministro “terrivelmente evangélico” para o STF (Supremo Tribunal Federal). Até 2022, quando se completará o mandato de quatro anos, o mandatário poderá sugerir dois nomes para a Corte.

Um deles será terrivelmente evangélico“, declarou o presidente durante um culto evangélico nesta manhã na Câmara dos Deputados.

Segundo Bolsonaro, a expressão “terrivelmente evangélico” havia sido utilizada pela ministra Damares Alves, da Mulher, Família e Direitos Humanos, adepta fervorosa da religião. “Estou plagiando a Damares”, disse.


Em 31 de maio, Bolsonaro já havia cogitado a possibilidade de indicar um ministro evangélico para o Supremo. Em novembro de 2020, o ministro Celso de Mello completará 75 anos e deverá ser aposentado compulsoriamente. Em julho de 2021, será a vez de Marco Aurélio Mello deixar a Corte.

O evento, realizado pela Frente Parlamentar Evangélica, ocorre horas antes do início da votação da reforma da Previdência no plenário. Bolsonaro chegou pela chapelaria da Casa e foi caminhando até o auditório Nereu Ramos, onde é realizada solenidade.

Após o culto, Bolsonaro deve se encontrar com o presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), para conversar sobre a reforma da Previdência.

Depois de um início complicado de tramitação, ontem, Maia encerrou a fase de debates e encaminhou a votação do texto-base do projeto para a manhã de hoje. A expectativa é que os trabalhos só sejam concluídos no fim da semana.

 

Deixe uma resposta

WhatsApp chat
%d blogueiros gostam disto: