Professores de Santo André trocam experiências sobre boas práticas de alimentação saudável

Traduzir as informações sobre alimentação saudável para o universo das crianças, com o uso de recursos lúdicos e promoção de vivências, capazes de modificar comportamentos alimentares para a vida toda. Essa é a principal função dos projetos desenvolvidos sobre alimentação nas creches e Emeiefs (Escolas Municipais de Educação Infantil e Ensino Fundamental) de Santo André.

Com o objetivo de reconhecer as melhores práticas no assunto e incentivar novas iniciativas, a Secretaria de Educação, em parceria com a Craisa (Companhia Regional de Abastecimento Integrado de Santo André), por meio de departamento de Alimentação Escolar e Nutricional, realizou nesta terça-feira (26) o primeiro Encontro de Práticas Exitosas de Alimentação em Ambiente Escolar, no Teatro Municipal.

De acordo com a diretora do departamento de Educação Infantil e Ensino Fundamental, Silvia Baldjão, o encontro teve como objetivo enaltecer as boas práticas realizadas nas escolas e também promover a troca de experiências para ampliar a discussão sobre um assunto que desperta muita preocupação: o crescimento do número de obesos em todo país, principalmente entre as crianças.

As professoras e gestoras das escolas onde foram identificadas as cinco melhores práticas sobre alimentação saudável, selecionadas pela Secretaria de Educação, apresentaram seus trabalhos no evento. A creche República Italiana, no Jardim Santo Alberto, foi a primeira unidade a se apresentar, trazendo informações sobre a forma como foi feita a abordagem e a respeito da importância de alimentos como feijão e maçã, por meio da adaptação das histórias infantis, como João e o Pé de Feijão e Branca de Neve.

Na Emeief Professora Therezinha Monteiro de Barros Nozé, as professoras apresentaram o trabalho feito com os alunos do primeiro ano do fundamental, em que foram realizadas ações como degustação de saladas para apresentação de diversos alimentos que os estudantes desconheciam. A escola apresentou para as crianças o doce de abóbora como uma alternativa ao doce de leite ninho, feito com produto industrializado.

Na creche Manuel Campestrini, no Jardim Alzira Franco, a percepção de que as crianças não sabiam quais as frutas estavam comendo, pois já recebiam a salada de frutas picada, originou um trabalho baseado na apresentação das frutas por meio de jogos e brincadeiras. Na conclusão do projeto foram feitas panquecas coloridas com ingredientes diferenciados que proporcionaram uma nova experiência para os estudantes.

A Emeief Nicolau Moraes Barros, na Vila Pires, utilizou o tema sucos naturais X sucos artificiais para passar aos estudantes informações sobre a importância de optar sempre por alimentos in natura. Entre outras ações, a unidade realizou experiências com corantes de chocolate e de refrigerantes para sensibilizar os alunos sobre o grande consumo de produtos químicos no dia a dia. O resultado foi apresentado em uma feira de ciências que envolveu pais e alunos.

Já a creche professor Máximo Mansur, na Vila João Ramalho, aproximou a família dos alunos do ambiente escolar, inclusive em ações realizadas em um sábado que foi dia letivo. Pais e alunos se envolveram no plantio e cuidados com a horta, que foi o ponto de partida para abordagem sobre a importância da alimentação saudável.

Deixe uma resposta

WhatsApp chat