SOS Cidadão 156 completa 1 ano salvando vidas em São Caetano

A unificação dos serviços de urgência e emergência em São Caetano do Sul completa 1 ano cumprindo o dever de salvar vidas. Lançado pela Prefeitura em março de 2018, o SOS Cidadão 156 já acumula 17.196 atendimentos. Uma atuação referencial que rapidamente conquistou a aprovação da população.

A central concentra os chamados de Saúde, Segurança, Defesa Civil, acidentes de trânsito e qualquer situação de urgência/emergência ou calamidade pública. O serviço é oferecido de forma ininterrupta, 24 horas por dia, por meio dos números 156 e 0800 7000 156, conectado a todos os telefones fixos e também celulares. Ambulâncias, motos, bikes e veículos de apoio e de intervenção rápida integram a frota.

Todos os chamados passam pela análise de um médico regulador, que os classifica por cores, de acordo com a gravidade de cada caso. Vermelho representa risco iminente de morte (atendimento em até dez minutos). Amarelo, risco de agravo à saúde (até 1 hora). Verde, casos não-urgentes (até 3 horas). Esta triagem é fundamental para definir as prioridades das equipes de socorristas.

A coordenadora do SOS Cidadão 156, Alessandra Masiukewycz, destaca a eficiência da central, que possibilita atendimentos ainda mais ágeis do que o preconizado na classificação por cores.

Cerca de 80% dos chamados são referentes a casos clínicos, como suspeitas de infarto, convulsões e hemorragias. As chamadas de Segurança são transmitidas imediatamente para as viaturas da Guarda Civil Municipal (GCM), em casos como furto, roubo e indivíduos em atitude suspeita – a corporação atua de maneira integrada à Polícia Militar.

O cidadão deve discar 156 sempre que se deparar com uma situação grave. Em casos que não se configuram como urgência e emergência o morador deve procurar a unidade de saúde mais próxima ou contatar a secretaria responsável pelo serviço.

Saber quando acionar o 156 é muito importante para não desperdiçar o tempo dos socorristas e prejudicar o salvamento de uma vida. Veja algumas situações sobre quando chamar:

Suspeita de infarto ou AVC

Convulsões; acidentes de trânsito com vítimas; tentativas de suicídio; atropelamentos; tentativas de homicídio/roubo/furto; choque elétrico; incêndios; queimaduras graves; soterramentos; afogamentos

Qualquer outra situação de urgência ou emergência (risco de morte ou sofrimento intenso)

Quando não acionar o 156:

Podas de árvores; dor de dente; ligação de redes de água e energia; resgate de animais; pavimentação de ruas;

Qualquer outra situação que não caracterize urgência ou emergência

Deixe uma resposta

WhatsApp chat
%d blogueiros gostam disto: